quinta-feira, 24 de abril de 2014

Paixão onírica

Por que tens olhos tão doces
E a fisionomia tão bela?
E o beijo tão surreal... para onde fostes?

Tão confortante o olhar,
Mas meu coração faz desesperar
Quando percebo tua ausência.

Um nome, uma direção?
Não tenho uma única informação
Que me conduza de volta a ti.

Mistério que consome,
Faz-me sofrer tanto temor
De que não o encontre,
Irrealizado amor.

E no clímax de minha busca,
A luz do dia me ofusca,
A realidade a me tirar a fantasia,
O coração palpitando em agonia.


Jejels, 24/04/2014.

Nenhum comentário: