sexta-feira, 25 de julho de 2014

Asas de fênix em nuvem

Um pássaro laranja corta o céu,
Um pássaro de fogo rasga o azul,
Desperta a vida do mausoléu,
Levanta liberto, livre, nu.

Um pássaro abre as asas em chamas,
A visão do renascer perante o pôr-do-sol,
O dia termina com um novo panorama.

Eis que abraço a visão chamuscada
Pois meu coração se identifica com a ave
E suas batidas pulsam em disparada
Ansiando alcançá-lo.

E salto em direção ao azul
Sem me preocupar em cair no abismo,
Agarrando-me à fênix de meu onirismo.

Jejels, 17/10/2012.

Nenhum comentário: