segunda-feira, 28 de julho de 2014

Fantasia em soneto

Meus olhos não me obedecem,
Os músculos não relaxam,
Lúdicos impulsos florescem.

Pensamentos turvos
Surgem vinculados a você
Enquanto não durmo.

Um querer profundo,
Porém, soturno,
Por saber de sua impossibilidade
Em meio à minha instabilidade.

Uma lembrança branda,
O que restou de nós,
Último suspiro que encanta,
Último lírio de pétalas brancas.


Jejels, 19/09/2012.

Nenhum comentário: