segunda-feira, 5 de maio de 2014

Teimosia

Would the world be so cruel? Even the ones you love? How can they throw such words to you, crucify your sadness, step on your broken heart?

E ainda dizer que é teimosia, a minha tristeza. Como se eu escolhesse estar assim... e dizer palavras duras sem piedade, verdades cruas e pontudas enquanto vejo as pessoas se afastarem. Não, não posso acreditar que seja verdade o que ouvem meus ouvidos, o que sangra em meu coração. Não posso crer que tudo o que vai fazer é dizer "eu sei que é difícil",  acompanhado de um "mas" que antecede uma enxurrada de exigências que simplesmente ignoram o meu estado de espírito. Será assim tão difícil de entender? Será que não há mesmo uma empatia sequer que ajude a entender do que eu preciso? Por que estou agindo assim? Não... acho que não... porque aquela insistente diferença no âmago, na essência... aquela diferença é um muro que obstrui a visão completa do que se passa em mim. Não pode compreender porque não tem espírito irmão ao meu... e coisas assim são praticamente imutáveis.



Jejels, 12/04/2014.

domingo, 4 de maio de 2014

Calado

Silêncio - o avassalador e eloquente equivalente ao vazio.
As palavras não têm mais espaço entre nós. Tu não as têm em teus lábios, em tua mente em teu coração. Talvez o assombroso escuro em meus olhos as tenha afogado. Talvez apenas não haja compreensão, não haja resposta ao vírus encravado. E, neste dia em que tua mão descansa imóvel ao lado da minha, teus lábios se calam, esmaece a magia. As estrelas que nos levei para ver estão invisíveis atrás da janela e não há nada além de um corredor vazio, de paredes nuas e frias - um refúgio-calabouço, uma prisão concentida.
E tudo em mim aperta, dá nós em minha garganta, esmaga meu peito, transborda quente pelos olhos opacos. A mão que acariciava teus cabelos (pois apesar de tudo, era eu quem estava a afagar-te) perdeu os últimos fios de força. E em resposta aos abalos sísmicos internos e ao externo que me engolia, só pude me encolher, impotente, e ver-te partir novamente.


Jejels, 04/05/2014.