segunda-feira, 30 de junho de 2014

Have you ever been in love?

“Have you ever been in love?
Horrible, isn't it? It makes you so vulnerable. It opens your chest and it opens up your heart and it means that someone can get inside you and mess you up. You build up all these defenses, you build up a whole suit of armor, so that nothing can hurt you. Then one stupid person, no different from any other stupid person, wanders into your stupid life... You give them a piece of you.
They didn't ask for it.
They did something dumb one day, like kiss you or smile at you, and then your life isn't your own anymore.
Love takes hostages.
It gets inside you. It eats you out and leaves you crying in the darkness, so simple a phrase like "maybe we should be just friends" or "how very perceptive" turns into a glass splinter working its way into your heart. It hurts. Not just in the imagination. Not just in the mind.
It's a soul-hurt, a real gets-inside-you-and-rips-you-apart pain.
I hate love.”

Neil Gaiman, The Sandman, Vol. 9: The Kindly Ones.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Invasão de saudade

Um mar de quilômetros de silêncio,
Uma montanha de tarefas de distância.

Esperança - uma rosa no deserto
Murchando na seca da tua ausência.


Jejels, 21/06/2014.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Crepúsculo de uma terça-feira

O dia esfria e esmaece à minha volta.
Falta a essência do riso,
Falta ao jardim, a rosa.
Falta teu perfume aqui,
Falta teu calor em mim.
Falta o abraço aconchegante,
Falta o apaixonado amante
Para dar sentido ao tempo
E para não me deixar
Desintegrar e me perder com o vento.


Jejels, 25/03/2014.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Sonhar contigo

Sempre que estou sozinha com você,
Não há limites, não há feridade,
Não há palavras partidas.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há cantos escuros,
Não há censuras ou muros.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há correntes ou mordaças,
Seu amor me dá asas.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há transtorno, não há briga
E jamais estarei perdida.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há tempo, não há espaço,
A realidade se dissolve em nosso laço.

Sempre que estou sozinha com você,
Desprendo-me de mim,
O mundo são seus braços.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há aflição, não há segredo
Que não se resolva com um beijo.

Sempre que estou sozinha com você,
Não há cobranças, não há dívida.
Sempre que estou sozinha com você,
Sei que é você a minha vida.



Jejels, 07/05/2014.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Treze versos mais teus

Manhã que desperta,
Teus olhos se abrem.

Mais sonhos germinam,
Teus braços se abrem.

Matizes desbotam,
Teus dedos colorem.

Má sorte se espalha,
Teus pensamentos combatem.

Maré nos separa,
Teus versos nos unem.

Manha que mima,
Teus cabelos embaraçam.

Máquina que bombeia
Teus sentimentos em meu peito.

Malícia que contrasta com
Teus princípios de pureza.

Margaridas que perfumam
Teus jardina imaginários.

Magnitude que caracteriza
Teus efeitos sob minha pele.

Materialização do desejo,
Teus músculos me envolvendo.

Mapa da felicidade,
Teus pés a guiar os meus.

Magia inigualável - 
Teus lábios pousados nos meus.



Jejels, 28/04/2014.