quinta-feira, 9 de abril de 2015

Do desespero de quando atravessas a porta

Por favor, não vá embora.
Há essa garota à tua espera,
Ela sente e chora
Quando tua ausência reverbera.

E resiste ao sono
Aguardando teus sinais
Mesmo que apenas em sonho
Possa sentir os carinhos irreais.

Por favor, não vá embora.
És o pouco que me resta de esperança,
O que mantém viva minha alma de criança.

Por favor, não vá embora.
És o pouco que me resta de alegria,
O que mantém meu coração longe da realidade sombria.


Jejels, 09/04/2015.

Nenhum comentário: