quinta-feira, 23 de abril de 2015

O que não termina quando acaba.

Pinga a gota

Cai a chuva
Conta a gota
E chove o dia
Escorre
Esconde
E pia
Pia
Torneira vazia
Pingando
Dezembro
O dia
Dizia
Seria
Você
Quem viria
À noite
Vazia
Vagando
Sonhando
Lembrando
Me contando
Que seria
Gota a gota
Que se enchia
Uma lágrima

Luísa L'abbate.
[acesso em http://poeticainvoluntaria.blogspot.com.br/ ]

Nenhum comentário: