quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Metafísica

Te toco mesmo sem te tocar
Pelos espaços vazios de tua composição
Em constelação no céu escuro e azul da noite.


Te toco mesmo sem te tocar
Com palavras invisíveis que escrevo
Em relevo alcançam tua pele alva em arrepios.


Te toco mesmo sem te tocar
Através do som que propaga as canções
Em corações entrelaça os sentimentos que saem da minha boca.


E me tocas, mesmo sem me tocares
Com gestos abstratos a cada dia
E a alegria que semeias em meu rosto cansado.



Jejels, 04/11/2015.

Nenhum comentário: