quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Paralelo

Estou queimando por dentro
Em convulsões de fogo e paixão
Confissão do coração em combustão
Perdendo noção do centro.

Tudo se revira mais uma vez
Mil palavras e imagens se confundem,
Iludem e aturdem a nuvem
Dissipando meu paraíso com rispidez.
 
Interferência dos (não tão) antigos fantasmas
Que em busca de felicidade enclausurei,
Censurei e despertei quando esperei
Que fosse feliz ao libertar a alma.

E espero na noite em turbulência
Pelos olhos que me inspiram
- inspiram e expiram, reviram
Do amor a essência...em perfeita fluência.
 
 
Jejels, 25/11/2015.

Nenhum comentário: