quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

22:22

Estarás nas nuvens, enfim?
No céu, pássaro mecânico
Nesse minuto de esperança
Com teu semblante de querubim.

Conta-me como a noite voa
Vista do alto de tuas asas,
As árvores, as pessoas, as casas,
A cidade da garoa.

Brilham as estrelas em êxtase
Maior que meus olhos por ti?
Maior que meu palpitar de colibri?

Abraçam as nuvens com carinho
Mais doce que teus braços ao redor de mim?
Pergunto enquanto aguardo
Suave encontro do nosso caminho...








Jejels, 07/12/2015.

Nenhum comentário: