domingo, 20 de dezembro de 2015

Eufórica

Bom dia, olhinhos azuis.
Mais uma manhã desperta no céu
Repleta de aventuras além do papel,
Palavras que se realizam, teu olhar reluz.

Bom dia, varanda
Cheia de verde e um ar de magia
Convite que me enche de alegria,
Nossos segredos compartilhados com as plantas.

Olhinhos de sol, bom dia,
Mais uma manhã incrível
Meu sentimento, mesmo que invisível
Transborda em meus gestos, palavras, olhos e boca...em euforia.


Jejels, 19/12/2015.

Imagens oníricas

Abro os olhos e encontro os teus.
Um sorriso surge subitamente no rosto.
A mão repousa em meu dorso
E o tempo já não urge.

O sol está nascendo devagar,
A grama um pouco fria em nossos corpos,
Os medos já foram mortos
À luz das estrelas que ontem vimos brilhar.

Teus olhos ainda fechados
E teu semblante tão pacífico
Encantam-me nesse delírio onírico,
Nesse lugar jamais visitado.

Teus olhos ainda fechados
Quando abertos trarão o amanhecer
Com o sol nos teus olhos claros...
Os olhos hipnóticos em que vou me perder.


Jejels, 15/12/2015.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Penso

Um pensamento a você nessa manhã
Imaginando o sorriso que vai aparecer
Quando você ler essas palavras
Singelas e cálidas
Que escrevo do meu coração para o seu
Pensando em tudo o que já aconteceu...
Sabendo que não foi apenas mais um sonho meu.


Jejels, 12/12/2015.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Improviso no parque

Teu sorriso se abre para mim
Como a porta do universo,
Como um verso complexo
Que estende no céu
O véu de estrelas que à noite cobre
Minh'alma que se abre e morre
Nesse mistério do universo infinito
Que passa por essa porta que é o seu sorriso.


Jejels, 10/12/2015.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

22:22

Estarás nas nuvens, enfim?
No céu, pássaro mecânico
Nesse minuto de esperança
Com teu semblante de querubim.

Conta-me como a noite voa
Vista do alto de tuas asas,
As árvores, as pessoas, as casas,
A cidade da garoa.

Brilham as estrelas em êxtase
Maior que meus olhos por ti?
Maior que meu palpitar de colibri?

Abraçam as nuvens com carinho
Mais doce que teus braços ao redor de mim?
Pergunto enquanto aguardo
Suave encontro do nosso caminho...








Jejels, 07/12/2015.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Sequestrar - verbo transitivo direto

Queria que todos os dias,
De súbito, me enchesse de alegria
O gosto de aventura me envolvendo
Como sequestros em novembro.

A leve agonia de não enxergar,
A tranquilidade da biblioteca na iminência da chuva,
Dividir com alguém especial o ar para respirar
Enquanto ouvimos música.

Improvisos sutis e cheios de significado,
Experiências inéditas jamais sonhadas.
Compartilhar com as prateleiras empoeiradas
Um sonho de paixão realizado.


Jejels, 23/11/2015.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Telepatia

Dirigindo pelos caminhos da rotina,
Dos olhos azuis, a menina
Ouvia canções da Vizinhança
Pensando naquela íntima dança
De olhares se encontrando na neblina,
De dedos entrelaçando-se em esperança.

Que minha juventude descanse em paz
- Ela a entregou nas mãos do anjo,
Aquele cuja mirada o sol refaz
Com as cores em hipnótico arranjo.

E mal eram quatorze horas,
Aquele sorriso ressurgiu, repentino
Que talvez, em quatorze minutos, sem demora,
Os pensamentos dele também a ela estariam dirigidos.

E via telepatia estariam reunidos
Alguns momentos antes do real reencontro
Numa prévia da alegria, querido,
Da ligação de dois pontos.


Jejels, 07/12/2015.

132 horas

Depois dos cinco dias que se passaram,
Enfim trouxeram de volta teu sorriso -
Um preciso remédio para meus pesadelos,
Anseios e medos...

Uma dose ao amanhecer,
Outra pela tarde
E mais uma ao escurecer...
À meia-noite, meu coração já faz alarde.


Jejels, 07/12/2015.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Desassossego

A canção à distância
De alma assim romântica
Ecoa em meus pensamentos,
Em meu coração, por alento.

Busco teus olhos, tuas cores, tua voz
Todas as manhãs nubladas de tua ausência.
Busco a luz, a alegria, a fluência
Para fugir de minha própria mente atroz.

Pois o escuro me envolve sorrateiro
E o pânico é semeado em meu peito
Quando tu o farias passageiro.

Quero teu riso fácil,
Esquecer-me do destino imprevisível
Nas ondas do teu olhar grácil.




Jejels, 06/12/2015.

Sobre ouvir um bom-dia

Uma voz conhecida,
Porém inesperada,
Falada um pouco rouca
Como estivesse outrora adormecida
Instala-se em meus ouvidos,
Refresca-me a imagem da tua boca,
Dos teus olhos coloridos...
Acorda meu estúpido sorriso.



Jejels, 05/12/2015.

domingo, 6 de dezembro de 2015

Uma vontade...

Me deu uma vontade de te recitar uma poesia.
Não algo elaborado,
Solene ou bem pensado.
Apenas o que me soprasse a brisa
Desse fio de pensamento noturno.

Que vontade de te recitar uma poesia
Ou simplesmente palavras sem conexão,
Qualquer som que saísse do coração
Que fizesse alusão à tua alegria.

Que vontade de te recitar uma poesia
Já que te sinto tão perto
Mesmo que tão distante,
Que cinco dias parecem imenso deserto
E o tempo, lancinante.

Que vontade de te recitar uma poesia
Só para ver teus olhinhos brilharem
E de paixão, nos meus se fixarem
Como se neles pudessem ver nascer o dia...

Ah, que vontade de te recitar uma poesia...


Jejels, 03/12/2015.