domingo, 23 de outubro de 2016

Embalo da chuva

Chove, chuva
Nesta tarde, cobre
A grama e meus olhos de frescor.
A cor que pinta os dias
É mutante, vibra,
E com ele, são todas cores de amor.

Chove, chuva
Tão tranquila, morna e limpa,
Apraz os meus ouvidos e assim me nina.
Em dois braços, forma-se o colo, coração a palpitar
Vermelho, azul Marinho, Lima...
Sutis e fluidas cores para um par.

Chove, chuva
Em meu sonho, testemunha
Um olhar que me vela, sonhador.
Um par de sóis brilhantes que me iluminam
Com a serenidade desse arco-íris de luz e cor.


Jejels, 10/03/2016.

Nenhum comentário: