sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Soneto do meu sentido

Ainda sinto nos lábios
O gosto do teu beijo cálido.
Com o aroma que só a ti pertence.
Com o hipnótico olhar que tudo vence.

Ainda sinto nos lábios
A tua presença morna
Que o vento sopra e retorna.

Ainda sinto nos lábios
Nossos sussurros vários
Que enchem meu coração e meus ouvidos
De esperança, de amor, de sentido.

Pois o que ainda sinto nos lábios
É o que mantém meu pulsar descompassado...
Teu amor: meu futuro, meu presente, nosso laço.


Jejels, 25/07/2016.

Nenhum comentário: