domingo, 29 de maio de 2016

Dir-te-ei

Dir-te-ei com todas as letras que te quero.
E nada mais espero de ti
Que teu belo sorriso ao descobrir.

Dir-te-ei com todas as letras que te imagino
Todas as noites, todos os dias.
E nada mais espero além de que sorrias.

Dir-te-ei com todas as letras que te desejo
Bons ventos, boa sorte, companheiros amigos.
Desejo, espero apenas o teu sorriso.

E dir-te-ei, não verbalmente
(pois a palavra de muita gente mente)
Que o amo com todo o meu coração,
E como uma canção, me embala esse amor.

E o declaro em meu olhar,
Em meus suspiros,
Declaro ao cantar,
Declaro em um sorriso...

Dir-te-ei a cada dia,
Dir-te-ei em pequenos gestos
Serenos, simples, discretos...
Mas verdadeiros e sinceros.


Jejels, 28/05/2016.

terça-feira, 24 de maio de 2016

A saudade e a Lua

A Lua redonda e brilhante,
Uma enchente de sentimentos que me envolve
Com sua pálida luz me devolve
Todas as perguntas que lhe faço...

Mas, Lua, que posso fazer
Quando somente a ele meus pensamentos revolvem
E sempre ao anoitecer
Tudo remete àqueles olhos que me dissolvem?

 


Jejels, 24/05/2016.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Cartas sinceras

Cartas sinceras
Fazem uma montanha de palavras
Ganhar olhos, braços e pernas
E se tornar um abraço de memórias.


Jejels, 11/05/2016.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Soneto das teclas da solidão


A luz artificial ilumina o quarto escuro.
Teclas à minha frente,

Nada de diferente.

 
Apenas mais uma noite solitária,
Mais um dia comum a voar pela janela...

Colecionados em formas refratárias
Que enchem o quarto - meu calabouço, minha cela.

 
Mais uma sombra na escuridão,
Imperceptíveis lágrimas na banheira...

Espalhadas com pedaços do meu coração,
Estilhaços apagados, cinzas da fogueira.

 
A luz artificial ilumina o quarto escuro.
Olhar caindo doente

Silenciosamente.


Jejels, 2016.

Sorriso tímido


Como um tímido sorriso,
Você apareceu ao meu lado.

Sorrateiro, discreto, calado.
 

Como quem já soubesse meus medos,
Meus sonhos, meus anseios,

Você decifrou meus segredos.
Paciente, sincero, companheiro.

 
Como uma onda suave no mar,
Você me embalou em nossos diálogos,

Em nossos abraços, cada dia novo suspirar.
Transparente, terno, simpático.

 
Como um sonho inesperado,
Você fluiu dos meus olhos ao coração.

Certeiro, incrível, paixão.



Jejels, 10/04/2016.

domingo, 8 de maio de 2016

Longínquo


Quão distantes os teus olhos
Que outrora brilhantes
Iluminaram meus dias.

 

Quão distantes os teus braços
Que outrora reconfortantes
Acolheram meu cansaço.

 

Quão distantes os teus lábios
Que outrora flamejantes,
Vibrante desejo transbordavam,
Calavam as palavras que eu não precisava dizer.

 

Quão distante o teu sorriso
Que outrora contagiante,

Cintilante convite oferecia,
Magia que agora só encontro em meus sonhos.




Jejels, 19/04/2016.