quinta-feira, 27 de abril de 2017

Do esmorecimento de cada dia (que contagia meu coração)

As palavras que nascem em meu peito e escorrem pelos dedos são solitárias e cansadas. Dia após dia, as horas e compromissos parecem se repetir e o tempo esmaga meus desejos coloridos e cheios de vida. Ao fim do dia, tudo parece se resumir à mesma pilha de acontecimentos cinzentos e monótonos e pesa sobre minha cabeça tudo aquilo que quis ser, mas não foi. Os momentos em que subo à superfície para ver a magia das estrelas e a alegria de um sorriso espontâneo tornam-se escassos e cada vez mais longe do que seria o mínimo suficiente. Ao chegar com as costas tensas de carregar as responsabilidades do dia-a-dia, falta a única coisa que me faria realmente respirar e conseguir aliviar o cansaço e a dor. Falta a única coisa que finalmente acreditei que teria. Falta a única coisa que cessaria a decepção e o desânimo que me perseguem a cada noite...
Mas ninguém entenderia.



Jejels, 26/04/2017.

Nenhum comentário: